quarta-feira, 4 de maio de 2011

Ermano da Conceição

SÉRIE: PATRONOS DA APLAM

ERMANO DA CONCEIÇÃO
Patrono da Cadeira nº 15
Academia Pirenopolina de Letras, Artes e Música


      Ermano da Conceição (Pirenópolis 11.02.1888 – 28.06.1967), foi um renomado professor alfabetizador, garimpeiro, escrivão, músico e maestro. Filho de Marcos Ribeiro D'Abadia e de Luiza Aquino D'Abadia, ambos oriundos de famílias africanas. Passou toda a infância em Pirenópolis. Foi alfabetizado e completou o curso primário com o Mestre Joaquim Propício de Pina.

      Começou suas aulas em sua própria residência em Pirenópolis, na Rua Direita, nº 46, com o nome de Escola Municipal Benedito Marcos. Usava como recurso pedagógico apenas uma grande mesa de madeira, reunia ali alunos de todas as idades, em salas de múltiplas séries. Utilizava-se da pedra lousa, uma lâmina de ardósia enquadrada em madeira, para nela escrever com o ponteiro (lápis feito da mesma pedra). Cada aluno possuía a sua, que era trazida de casa. Até hoje seus alunos se recordam com saudade de suas aulas e dos pedações de rapadura que eles dividiam entre si, durante o intervalo da merenda.

A Estalagem segundo Pérsio Forzani
      Ermano desenvolveu uma forma elegante de caligrafia, como aliás todos os alunos de Propício de Pina, e trabalhava bastante a talho das vogais e consoantes com seus alunos, que por final possuíam o mesmo traçado de letra, que era a herança educacional de Propício.

      Era ele um mestre de vanguarda, sempre desejoso de novidades para prender a atenção dos alunos. Com esse fim e também para divulgar a cultura pirenopolina, frequentemente aconteciam no edifício da Estalagem, no Alto da Lapa, as famosas “Peças Teatrais de Ermano”, aonde ia Pirenópolis em peso.


Lâmina de ardósia. Fonte mathiassimon1829.blogspot.com
      Na música, Conceição se destacava por tocar vários instrumentos da banda. E pela sua capacidade de ministrar teoria musical aos alunos, recebeu o título de maestro. Era um dos melhores músicos da Banda Fênix, e por ocasião da morte do Mestre Propício (1943), ajudou o maestro Luiz de Aquino Alves a manter viva aquela corporação musical.



      No ano de 1962, aconteceu em Pirenópolis um grande festival cultural, cuja intenção era divulgar as manifestações artísticas da cidade, com apresentações musicais, teatrais, literárias e de artesanato, que recebeu o nome de “Semana de Arte e Cultura”. O velho professor, então septuagenário, foi sua atração principal, com grande reverência dos ex-alunos.

Col. Eramano da Conceição
      Ermano da Conceição morreu aos 79 anos de idade, de insuficiência cardíaca, paupérrimo, inclusive com carência das necessidades básicas e sem receber a merecida aposentadoria. O Estado não o amparou e ele não tinha mais força para trabalhar.

      Depois de morto é que foi valorizado. No mesmo ano em que faleceu, o Município de Pirenópolis batizou de Grupo Escolar Ermano da Conceição, a escola que mantem até hoje no Alto da Lapa. Sua presença entre os Patronos da Aplam é uma homenagem ao grande educador que foi e também uma maneira de valorizar os descendentes dos escravos que por aqui labutaram.


      É Patrono da Cadeira nº 15, da Academia Pirenopolina de Letras, Artes e Música.


Fonte:
Apontamento da professora Delzuita de Almeida, entre os anos de 1996/7.
Entrevista com João José de Oliveira, aos 90 anos de idade.
Entrevista com Maria Jayme de Siqueira Pina, aos 88 anos de idade.

Bibliografia:
JAYME, Jarbas. Família pirenopolinas. Goiânia: UFG, 1973, Vol. V.


Adriano César Curado

10 comentários:

  1. Mariana de Siqueira4 de maio de 2011 16:11

    Escritor Adriano, meus parabéns pela bela postagem que homenageia o professor Ermano da Conceição. Eu só tinha ouvido falar dele porque batiza um colégio no Alto da Lapa. Agora fiquei conhecendo essa figura de luz.

    ResponderExcluir
  2. Thamyris Fernandes4 de maio de 2011 17:15

    Tio, já pensou em juntar essas biografias em um livro? Seria super interessante para a história da 'terrinha'. Rs. Ficou ótima

    ResponderExcluir
  3. Maria Helena de Assis Franco5 de maio de 2011 08:11

    Prezado escritor Adriano César Curado, gostei muito desta biografia de hoje por dois grandes motivos.
    Primeiro, porque se trata de um negro, um excluído, descendente dos escravos que muito labutaram pelo brancos e foram deixados à própria sorte.
    Segundo, porque foi um homem que, apesar de não contar com nenhuma ajuda oficial, persistiu no seu propósito de labutar nas letras.
    Gosto de histórias assim, vindas do povo, já que todo mundo só conta fatos da elite, dos coroneis, dos que mandaram e ainda mandam.

    ResponderExcluir
  4. Caríssimo confrade Adriano, seu trabalho caminha a passos seguros, numa evidência de que a memória da nossa Pirenópolis tem quem a bem defenda!
    Concordo com a sugestão da Thamyris, pense seriamente num livro; sáo pouco mais de 30 cadeiras, os patronos merecem ser eternizados e você está cuidando muito bem disso.

    Luiz de Aquino Alves Neto (membro da Cadeira 17 e ex-presidente da APLAM).

    ResponderExcluir
  5. Caro poeta e escritor, Adriano César Curado, através deste seu blog eu já aprendi mais sobre Pirenópolis do que li em muitos livros. Você sabe abordar assuntos inéditos, através de postagens bem elaboradas, geramente com fotografias que prendem a atenção da gente. Particularmente sobre esse professor, Ermano da Conceição, foi uma escolha feliz e que merece meus parabéns. Continue a alimentar esta página com boas novidades.

    ResponderExcluir
  6. Lucinda de Castro6 de maio de 2011 16:00

    Esta postagem reflete bem o Estado brasileiro. Um homem que trabalhou a vida toda em prol da educação, morre de fome, à mingua, sem que as autoridades públicas o amparem. Olha só a foto do coitadinho!

    ResponderExcluir
  7. João Luís de Melo9 de maio de 2011 08:30

    Ótimo blog, excelentes postagens, assuntos sepre atualizados. Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Ana Paula Oliveira23 de maio de 2011 14:09

    Maravilha de assunto vc abordou aqui, trazendo à luz um personagem que pouca gente conhece, apesar da grandeza dos seus atos.

    ResponderExcluir
  9. excelente matéria!!! Hermano deixou filhos???

    ResponderExcluir
  10. Claudio Gomes Pereira14 de março de 2016 16:48

    Adriano, ótimo materia!! Parabéns mesmo. Sei que sou parente do Hermano por parte de pai, a minha avó foi a Elisa Da Conceição Pereira e como meu pai, e avó são falecidos não sei o parentesco

    ResponderExcluir

Minhas leitoras e meus leitores, ao comentarem as postagens, por favor assinem. Isso é importante para mim. Se não tiver conta no Google, selecione Nome/URL (que está acima de Anônimo), escreva seu nome e clique em "continuar".

Todas as postagens passarão por minha avaliação, antes de serem publicadas.

Obrigado pela visita a este blog e volte sempre.

Adriano Curado