quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A casa pirenopolina V


     Além de retirada da viga baldrame de aroeira, outras técnicas equivocadas de “restauração” comprometem o conjunto do Patrimônio Histórico de Pirenópolis. Com a desculpa de que falta madeira no mercado, a sustentação dos casarões históricos passou a ser feita com barras de metal, que são parafusadas e depois cobertas com tábua para disfarçar.

      Um casarão centenário na rua Direita passou por esse triste disfarce em 2011. Suas pareces internas, originalmente de adobe e pau-a-pique foram derrubadas por estavam fora de prumo e no lugar levantadas outras com tijolo furado e alinhamento perfeito. O pé-direito (altura que vai do chão ao teto) foi aumentado significativamente e isso quebrou a olhos vistos a estética do imóvel. Eu pergunto: é o mesmo casarão do século XIX? Essa técnica de restauração, aprovada pelas autoridades competentes, está correta?

      É preciso sentar e discutir com técnicos especializados sobre essas intervenção nos imóveis que compõe o Centro Histórico de Pirenópolis. Se continuar assim e nesse ritmo, em pouco tempo os casarões serão todos demolidos e nos tornaremos, como já frisei diversas vezes, cidade-cenário para turista ver e fotografar.

Adriano César Curado



Casarão na rua Direita com vigas de metal

Casarão na rua Direita destoa do conjunto arquitetônico

Vigas de metal em vez de madeira

17 comentários:

  1. Tadinho desse casarão! Ele ficou feio demais! Parece que alguém veio por trás e lhe meteu um chute no traseiro. Essa reforma foi aprovada num processo administrativo? Mas que absurdo! Só mesmo no Brasil passa uma coisa dessas!

    ResponderExcluir
  2. Dizem que água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Eu acredito que vc ainda colherá bons frutos dessas suas postagens insistentes. Dia haverá com certeza que alguma autoridade poderosa lerá isso e tomará decisões capazes de mudar o rumo dessa triste realidade.

    ResponderExcluir
  3. Nesta nova postagem, Adriano nos alerta sobre a deformação, quase um aleijão, dos casarões históricos de Pirenópolis, e tudo isso com o aval das autoridades públicas, aquelas mesmas que deveriam fiscalizar e punir quem desrespeita a lei. Mas é o Brasil um país que sempre dá um jeitinho em tudo. Como que alguém emite um alvará de autorização de uma obra dessas? Aonde foram parar as diretrizes do decreto-Lei nº 25, de 30.11.37? Getúlio Vargas deve estar se revirando no caixão numa hora dessas.

    ResponderExcluir
  4. Enquanto não houver uma mudança radical de governantes e sistemas de gestão, existirão sempre aberrações como essa. Que absurdo!

    ResponderExcluir
  5. Acho mesmo que isso é uma questão de polícia.

    ResponderExcluir
  6. Janeth Mariano de Souza28 de outubro de 2011 09:01

    Isso de derrubar casa velha em Pirenópolis tá pra todo lado. Vc precisa ver lá no Bonfim.

    ResponderExcluir
  7. Floriano Cintra Filho30 de outubro de 2011 13:24

    São uns monstros que fazem isso!

    ResponderExcluir
  8. E o profissional pela reforma, não restauração, o que tem a dizer?

    ResponderExcluir
  9. Paulo Henrique Barbosa31 de outubro de 2011 17:41

    Tem a dizer nada, como sempre. Ninguém justifica nada em Pirenópolis, simplesmente botam esses casarões históricos no chão e fica por isso mesmo. Basta passear pela cidade para ter certeza disso. É uma lástima.

    ResponderExcluir
  10. Se todos nós cumpríssemos a lei, não haveria necessidade nem desta postagem e nem de comentários em discussão. Mas como lei é algo relevado ao segundo plano neste país, principalmente pelo poder público, então temos que pisar barro outra vez neste blog. Discutir sempre, para ver se mudamos o rumo das coisas.

    ResponderExcluir
  11. Fernanda de Siqueira31 de outubro de 2011 21:35

    Será que vamos deixar as coisas por isso mesmo? NInguém vai reagir? Cadê o povo pra impedir essas demolições?! Estou revoltada!

    ResponderExcluir
  12. isso é um caso serio pois onde esta o nosso guardião do patrimônio histórico nacional ????, me recuso a acreditar que técnicos qualificadíssimos, aceitaram uma barbaridade destas, e se permitirão é hora de revisar conceitos, do que é patrimônio, o que é histórico, cultural, pois isto é um absurdo sem tamanho e autorizado por quem deveria fiscalizar,estou totalmente indignado.

    ResponderExcluir
  13. Fernanda de Siqueira1 de novembro de 2011 16:37

    Caro Valdeir, esse "guardião do patrimônio histórico nacional" de que vc fala não existe. Veja como tudo está largado ao segundo plano, como nossa história se apaga bem rápido. O Adriano tem razão, não demora e vamos nos tornar "cidade-cenário".

    ResponderExcluir
  14. Que judiação estão fazendo com os casarões de Pirenópolis. Eu vou sempre a essa cidade linda e nunca imaginei que as casas fossem só fachada, que por dentro nada é mais original. É uma judiação.

    ResponderExcluir
  15. E o pior de tudo isso é que a reforma desse casarão, em especial, ficou muito feia. Vai ter mal gosto assim para lá...

    ResponderExcluir
  16. A demolição desse casarão é vergonhosa.

    ResponderExcluir

Minhas leitoras e meus leitores, ao comentarem as postagens, por favor assinem. Isso é importante para mim. Se não tiver conta no Google, selecione Nome/URL (que está acima de Anônimo), escreva seu nome e clique em "continuar".

Todas as postagens passarão por minha avaliação, antes de serem publicadas.

Obrigado pela visita a este blog e volte sempre.

Adriano Curado