sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Moradores de Pirenópolis se unem para recuperar áreas alagadas

Expectativa da administração é de 20 mil turistas nas festas da cidade. Segundo Bombeiros, mais de 50 imóveis foram atingidos pelo temporal.

A Prefeitura de Pirenópolis, região leste de Goiás, confirmou que vai manter a programação de carnaval na cidade este ano. O anúncio foi feito dois dias depois da cidade ser atingida por uma forte chuva, quando o Rio das Almas e o Córrego Lava-pés transbordaram e atingiram mais de 50 imóveis. De acordo com a prefeitura, a expectativa é que 20 mil turistas irão à cidade no próximo feriado.

De acordo com Secretaria de Turismo, Planejamento Urbano e Desenvolvimento Econômico Sustentável, as festas deste ano serão animadas pelo tradicional carnaval de marchinhas na cidade. Durante o evento, a prefeitura vai restringir o tráfego de veículos no centro histórico entre as 16h e 1h da manhã, proibir o som automotivo e o uso de garrafas e copos de vidro nas ruas. A programação inclui desfile de antigos e novos blocos de carnaval e a realização de bailes. Segundo a Prefeitura, a tradicional Rua do Lazer, que foi um dos pontos atingidos pela chuva de terça-feira, já foi recuperada e liberada.

Até a quinta-feira (28) ela estava com o trânsito bloqueado para que funcionários fizessem a restauração do calçamento de pedras.

O transbordamento aconteceu na madrugada de terça-feira (27). Em primeiro boletim, o Corpo de Bombeiros divulgou que 24 imóveis haviam sido atingidos pela água do transbordamento. Porém, após o fim das inspeções, o número subiu para 51, 27 casas e 24 comércios foram danificados.

De acordo com a corporação, uma casa está interditada e a família teve de ir para casa de parentes.

Segundo a prefeitura, de cerca de 200 pousadas da cidade, apenas uma, da década de 1920, foi atingida pelo temporal. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), informou que só vai se pronunciar sobre os estragos quando um laudo técnico estiver pronto.

Moradores de Pirenópolis se unem para recuperar áreas alagadas



Equipes dos bombeiros ajudam a retirar lama e desentupir bocas de lobo.
 
 
Carnaval está mantido, mas alguns estabelecimentos ficarão fechados  Moradores se uniram para limpar e recuperar as áreas alagadas pela cheia no Rio das Almas, em Pirenópolis, no leste de Goiás. Equipes do Corpo de Bombeiros também estão no local ajudando a retirar a lama e entulho dos imóveis, assim como a limpeza das bocas de lobo. A previsão é que até a próxima semana, todo o trabalho já tenha sido concluído. População ainda contabiliza os prejuízos com a alta o nível das águas.

Ao todo, 27 casas foram atingidas pela água. A maioria delas fica no centro e no alto da Lapa. De acordo com a prefeitura, seis casas desabaram. O governo já está cadastrando as famílias atingidas para receberem assistência do poder público. O comércio também foi prejudicado, com 24 estabelecimentos, entre pousadas, bares e restaurantes, alagados. De acordo com a prefeitura, as fortes chuvas não comprometeram o carnaval, a grande preocupação dos turistas que já reservaram hospedagem na cidade. Entretanto, algumas pousadas não terão condições de abrir durante o feriado devido aos estragos deixados pela chuva. Em um dos imóveis, a força da água derrubou o muro e invadiu o prédio. Móveis e eletrodomésticos também ficaram estragados.

A dona do empreendimento disse que está devolvendo o dinheiro das pessoas que já fizeram a reserva para o carnaval e que não há previsão de quando a pousada voltará a funcionar normalmente.

Em um restaurante, a água chegou a 1 metro de altura, danificando equipamentos e fazendo com que todos os alimentos fossem perdidos. Diante do grande prejuízo, funcionários se uniram para lavar o que sobrou e tentar reabrir o estabelecimento o mais rápido possível.Cheia
A cheia no Rio das Almas aconteceu na terça-feira (27). Segundo os bombeiros, a situação se normalizou no dia seguinte. A enxurrada chegou a arrastar três carros, dos quais dois estavam vazios.

No terceiro veículo, na Rua Direita da cidade, havia uma mulher. Ela conseguiu se segurar em um galho de uma árvore pela janela do veículo e conseguiu sair, mas ficou ilhada. Em seguida ela foi resgatada pela corporação e não ficou ferida.

A Secretaria de Ação Social de Pirenópolis informou que trabalha com a corporação para verificar se algum imóvel corre risco de desabamento. As margens do Rio das Almas foram interditadas pelos bombeiros. A Devesa Civil também atua no local e monitora a situação.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Tempestade da madrugada

Na madrugada deste dia, 27 de janeiro de 2016, novamente o rio das Almas transbordou e inundou a rua do Rosário. É uma cena assustadora porque a água tocou no assoalho da ponte do Carmo.

Veja as imagens e o vídeo:






video

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Pirenópolis brinca o carnaval mais um ano

A Prefeitura Municipal de Pirenópolis, através da Secretaria de Turismo, Planejamento Urbano e Desenvolvimento Econômico Sustentável, reuniu na manhã desta quinta-feira, 21 de janeiro, com alguns colaboradores do poder executivo, empresários, PM, Bombeiro Militar e o representante da equipe que prestará serviços no trânsito no carnaval de 2016 na cidade histórica. A edição de carnaval de época, animada pelas marchinhas carnavalescas este ano tem como tema “Tradição e Cores”. O carnaval de marchinhas em Pirenópolis tornou-se um evento consolidado por seu perfil cultural, resgatando a história e a tradicionalidade dos carnavais de época.

Estavam presentes, Capitão do 11º Comando Independente Bombeiro Militar, Daniel Freire Pereira Batista, a representante da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Sônia Naoum, o Delegado de Polícia, Bruno Cosa e Silva, os representantes da Secretaria de Administração e Finanças, Antônio Mendonça, Eliandro Jaime, junto da Secretária, Vanessa de Pina Melo, o Secretário do Meio Ambiente, Arthur Abreu, a representante do Conselho Municipal de Turismo (ComTur), Maria Rosa de Marchi, o representante do trânsito, Reginaldo de Almeida Paiva, o Diretor de Obras e Infraestrutura, Inácio Rosicler de Pina e o Capitão da PM, Bonfim.

A reunião foi para esclarecer algumas questões, como a quantidade de fiscais que estarão nas ruas, os lugares que estes fiscais vão estar posicionados, a quantidade de banheiros que estrão disponíveis para os visitantes nas ruas, a proibição de transitar com garrafas de vidro e como autuar os motoristas que perturbarem com o som o automotivo. O Secretário Turismo, Planejamento Urbano e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Sérgio afirmou que a Prefeitura contratou vários banheiros e que eles estarão distribuídos em diversos pontos. Sérgio disse também que o importante é minimizar os problemas e conscientizar o turista de que em Pirenópolis existem regras, por ser uma cidade tombada como patrimônio histórico e por não comportar excessos. “O destino é para ser preservado, estamos trabalhando o trânsito e estimulando o turista a estacionar o carro e andar a pé pela cidade, além de ser saudável, ele diminui o impacto e consequentemente o fluxo do trânsito”.

Sérgio lembra que é interessante preservar o turista que vem e faz reserva de hospedagem, o que se programa para vir visitar Pirenópolis. “É muito difícil acolher as pessoas que vem para a cidade sem destino de hospedagem, nos dá muito trabalho devido à desordem que é causada no local que ele escolhe acampar. Trabalhamos para bem receber os nossos visitantes, mas não podemos mudar a rotina local, interferir no ambiente natural do destino. Na beiro do rio e em outros locais similares que não são credenciados para ser camping, não é permitido acampar e nós vamos continuar fiscalizando. Nossa função é trabalhar para oferecer qualidade e conforto, sendo assim as pessoas que nos visitam sempre vão voltar para usufruir de um serviço de qualidade”.

Sérgio informou que o trânsito será remanejado novamente, os fiscais estrão posicionados para ajudar os visitantes a transitarem, algumas ruas serão fechadas e não será permitido estacionar em algumas vias. De acordo com o Sérgio, Pirenópolis deseja proporcionar um carnaval tranquilo e alegre. Uma festa responsável que respeite o patrimônio histórico e a segurança de moradores e visitantes. Para isso ele apresentou algumas providencias que foram tomadas:

– Restrição ao tráfego de veículos no Centro Histórico (o trânsito será parcialmente fechado nos 4 dias de carnaval entre 16:00hs as 01:00hs);

– Proibição de som automotivo, os mesmos podem abalar alicerces e deslocar telhas dos casarões;

– Proibição do uso de garrafas e copos de vidro nas ruas;

– Plano específico de segurança para coibir abusos e reforçar o policiamento e a fiscalização;

Sérgio lembra que a política Municipal é divulgar o conceito de Turismo Responsável, pautado na cidadania, inclusão, motivando a colaboração com as normas, a limpeza pública, o respeito ao patrimônio, às tradições e cultura pirenopolina, opção social e ambientalmente correta que traz benefícios aos anfitriões e visitantes.

Em Pirenópolis, as crianças não ficam fora da folia, a 3ª matinê infantil será dia 9 de janeiro, das 17hr às 20hr. Atenção, papais e mamães, as melhores fantasias serão premiadas. Toda folia será preparada na Rua Direita, uma das principais ruas do centro histórico, onde casarões coloniais nos remetem ao passado tornando a diversão dos antigos e novos blocos carnavalescos harmônicos e divertida. Será montado um grande salão para os bailes de carnaval à moda antiga, entre os dias 6 à 9 de fevereiro, conforme o horário:

Sábado: 21hs ás 3hs

Domingo: 21hs ás 3hs

Segunda – feira: 21hs ás 3hs

Terça-feira: 18hs ás 00:00hs

A cidade se prepara para receber uma média de 20mil foliões. Eles terão o apoio da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, entidades do trade e vários Departamentos da Prefeitura, que com muito planejamento e organização, vão trabalhar para atender à população de maneira segura e tranquila.

É válido lembrar que a logomarca do carnaval cultural utilizada desde 2010 é um presente do cartunista Jorge Braga, um ícone que representa a cultura local. Este ano novamente o alegre Mascarado Pierrô, torna-se figura marcante no evento, fidelizando assim a logo dos Carnavais em Pirenópolis.

Fonte: site da Prefeitura Municipal de Pirenópolis

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

A água é fonte de vida!


A água é apontada como um recurso natural de altíssimo valor econômico, estratégico e social, já que todos os setores de atividade humana necessitam dela para desempenhar suas funções. Tendo em vista a vital importância da água de boa qualidade, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMM) realizou o plantio de 100 arvores nas nascentes do Rio das Almas, na tarde desta terça-feira, 19. 

As bacias, principalmente as de cabeceiras, devem ser tratadas como algo de mais importante que existe em uma propriedade, pois são elas as responsáveis pela existência das nascentes que, por sua vez, são fontes de água valorosas para a humanidade. 

Por amar Pirenópolis vamos continuar fiscalizando e reflorestando os mananciais da nossa querida cidade histórica.

O registro da foto é no Rio das Almas, em Pirenópolis - GO.

Prefeito Nivaldo Melo

EM 08/04/1920 NASCIA, EM PALMEIRAS, MAIS UM FUTURO MÉDICO, NA FAMÍLIA

Cartão social de Orestes Mendonça e Euphemia de Pina Mendonça, anuncia o nascimento do futuro médico Alcyr Mendonça. (Gentileza: Daniel Mendonça)

**(BUSCAM-SE DESCENDENTES DE ORESTES MENDONÇA, PAI DO DR. ALCYR MENDONÇA). Deixe indicação do FACEBOOK e, ou, FONE FIXO, no inbox, por favor.
A década de 1910, foi decisiva para a migração dos filhos de ROSA ALZIRA JAYME MENDONÇA para Palmeiras.
Em 1910, Humberto Mendonça, com 17 anos, acompanhou seu parente Horácio de Sá para essa cidade, a fim de ocupar o espaço deixado por Abel Coimbra, o maior comerciante do Estado de Goiás, à época, que fechara seu estabelecimento em Palmeiras e se mudara para Jataí, após a derrota de sua milícia de 300 homens, que usara para defender o Xavierismo, na revolução de 1909.
Depois, foi João Mendonça (Nhonhô) que, instado por Humberto, em 1912, transferiu parte da deficitária FARMÁCIA MENDONÇA, criada por seu pai, Manuel Joaquim de Mendonça (Maneco), em Pirenópolis, no ano de 1891, para a cidade de Palmeiras, onde "corria mais dinheiro".
José Mendonça trabalhou na farmácia do irmão Nhonhô - antes de ir estudar Medicina no Rio de Janeiro - e finalmente, ORESTES MENDONÇA, que seguiu os passos dos irmãos, mudando-se para a antiga São Sebastião do Allemão.
Em 1922, chegou Ranulpho Jayme (avô desse autor) pirenopolino, oriundo de Rio Verde - seguido de seus irmãos, Benedito, Olga, Ana e Joanito - que formou a vasta linhagem dos Jaime/Jayme de Palmeiras.
A seguir, Salomão Lopes, Pireneus de Carvalho, Antônio e Aloísio Pompêo de Pina e dezenas de outros parentes, da grei pirenopolina.
Tudo indica que não estava nos planos de Orestes Mendonça mudar-se, pois, juntamente com sua esposa EUPHEMIA DE PINA MENDONÇA, fez um cartão Social, para anunciar os nascimentos, batizados e outros eventos, relacionados a seus filhos, grafando "Pyrenopolis", que teve que ser hachurado e substituído por "Palmeiras", escrito a mão. 
(Esse cartão me foi repassado pelo primo Daniel Mendonça, grande parceiro desse projeto).
Na cidade de Palmeiras, em 08/04/1920, onde foi forte comerciante, nasceu o primeiro filho do ilustre casal, o futuro médico ALCYR MENDONÇA, que se casaria, em Rio Verde, com MARIA JOANA LEÃO MENDONÇA, filha de tradicional família rioverdense.
Dr. Alcyr Mendonça foi renomado médico naquela cidade, onde deixou nobre descendência, os Leão Mendonça. 
(A fotografia do Dr. Alcyr me foi gentilmente repassada pela prima Celina Rattes, viúva de "Tão Rattes", parentes amantes da história e que tem um acervo familiar fabuloso, em Rio Verde).
Dr. Alcyr foi Deputado Estadual, pela ARENA, 6.ª Legislatura (1967-1971);
Secretário de Estado da Saúde, na adm. Leonino Caiado; Secretário de Estado da Administração, na adm. Irapuan Costa Jr. e Diretor do Banco de Desenvolvimento do Estado de Goiás - BD, no governo Ary Valadão.
Estou em busca de informações sobre os filhos, netos e bisnetos de ORESTES MENDONÇA. Todos deverão ter seus verbetes no livro FAMÍLIA JAIME/JAYME: GENEALOGIA E HISTÓRIA.
Por favor, deixe indicação de facebook ou repassem telefones, preferencialmente, fixo, que entrarei em contato.
Ninguém pode ficar de fora!

Texto Nilson Gomes Jaime

Joaquim Gomes Filho, o trocadilhista

Primeiramente vamos ver um pouco de História que todo goiano sabe ou deveria saber:

1) O que é Goyaz? Se perguntar aos paulistas de onde veio o nome de São Paulo todos saberão responder, assim como os mineiros e os mato-grossenses. Mas, e Goyaz?

Goyaz: guayazes, depois goyazes… Guá= gente, yá= raça. Goyaz: gente de raça, gente amiga, gente companheira…

2) Quem nasceu aqui sempre foi goiano?

Não. Somente são goianos os que aqui nasceram depois de 7 de novembro de 1749, porque antes desta data era Capitania de São Paulo, portanto, paulistas. O primeiro presidente da Província foi o pernambucano Dom Marcos de Noronha, que possuía o título nobre de Conde dos Arcos, daí o Palácio Conde dos Arcos em Vila Boa.

3) E por que Goiânia?

Goiânia é um poema épico referente aos índios goyazes composto de mais de 10.000 versos e por Manuel de Carvalho Ramos, pai do Hugo, quando Juiz de Direito em Torres do Rio Bonito, hoje Caiapônia. De início o nome era a Nova Capital. Em 1936 houve um concurso pelo jornal O Social e o meu professor do Liceu de Goiânia, Alfredo de Faria Castro, com o pseudônimo de Caramuru, venceu o concurso com o nome Goiânia.

Joaquim Gomes Filho – Agora vamos falar um pouco sobre o cunhado de Eli Brasiliense, Joaquim Gomes Fillho, natural de Pirenópolis, o segundo maior trocadilhista do Brasil, o ótimo professor de Português,  Joaquim Gomes Filho, ou apenas Gomes Filho. O maior trocadilhista do Brasil foi Emílio de Menezes e o segundo, sem dúvida, Gomes Filho.

Nasceu em Pirenópolis em 1910. Foi seu pai, Joaquim Gomes da Silva Rocha, e sua mãe, Ana Francisca da Rocha, a dona Nana.

Casou-se em 1939, com dona Reginalda Fleury, dona Nenzinha.

Com menos de 18 anos foi para Uberaba para fazer o Ginásio. Seguiu para São Paulo onde fez o curso comercial no Liceu Coração de Jesus. De São Paulo, para o Rio de Janeiro, diplomando-se pela Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas. Do Rio de Janeiro voltou direto para a Cidade de Goiás, onde foi professor no tradicional Lyceu de Goyaz, lecionando Português. Colaborou em diversos jornais, fazendo literatura. Em Goiânia foi diretor do jornal O Social. Este jornal entrou para a história por ter realizado o concurso em 1936 para dar nome à nova capital.

Bom apreciador de cerveja, confiado e sem cerimônia, chegava à turma costumeira de bate-papo e já ia pegando o copo de qualquer um que estivesse bebendo. De uma vivacidade mental fabulosa, bom orador, foi deputado estadual pelo PSD de 1947 a 1951. Também professor de Português no Liceu de Goiânia e diretor do Colégio Estadual Pedro Gomes, no Bairro de Campinas. Aposentou-se como ministro do Tribunal de Contas do Estado de Goiás.

Não sei se terminou o seu livro de memórias com o sugestivo título – Valeu a Pena?

Vamos recordar de alguns de seus famosos trocadilhos:

Estando com um copo de cerveja, fez menção de despejar e disse: Olha aí, nem Pinga, se cair no Chãopanha, não pode Ser, Veja (cerveja).

Disseram-lhe que vão expulsar os padres estrangeiros, e ele atacou: – É para valorizar o Padrenosso?

Por ele ter a cabeça branca, uma senhora lhe perguntou:

– Deu geada na sua cabeça, professor?

– Deu sim, mas só na rama, que a mandioca continua boa.

No governo do Leonino Caiado, alguém observou:

– O senhor está muito bem conservado, mas está com a cabeça branca!

– Acontece que eu sou de agosto e meu signo é leão. Tenho que ter mesmo uma juba leonina caiada.

Viajando de carro para a Amazônia com chuva, ele alegou: Se nós vamos para o Amazonas e aqui Há Lagoas (Alagoas), convém a gente Pará porque o carro que vem atrás pode Ser Jipe (Sergipe).

Na pensão ele pediu linguiça sem pimenta:

– Mas linguiça sem pimenta é sem graça, professor!…

– Olha Sebastiana eu quero a linguiça é pra comer, não é pra rir, não.

Gomes Filho tinha uma chácara na região do Ribeirão Dourados, perto de Aragoiânia, àquela época, Biscoito duro. Certo dia eu vinha da minha indústria na Serrinha com um caminhão de telhas para Brasília. Gomes Filho estava com um saco de limão pedindo carona e subiu em cima das telhas. Chegando ao posto fiscal parei para carimbar a nota e o fiscal perguntou o que ele tinha no saco, respondendo que era limão. Foi  exigido que pagasse o imposto. Pediu um caneco, que canivete ele tinha. Foi cortando os limões e espremendo o caldo no caneco. Assim que terminou, entregou o caneco ao fiscal, que o perguntou o que era aquilo, no que ele respondeu: Fiscal do Consumo! (fiz caldo com o sumo).

Foi assim o formidável homem intelectual nascido, criado e casado em Pirenópolis, que viveu e morreu em Goiânia.

Macktub!

(Bariani Ortencio, escritor – barianiortencio@uol.com.br)

O salvador da donzela

Foi um susto muito grande ali na casa do coronel Gonçalves a notícia da gravidez de sua filha donzela. E digo isso porque a moça era o recato em pessoa, além de passar o dia todo sob vigília constante dos da casa. O pai ajeitava para ela o filho de um comerciante rico na capital, coisa de juntar fortuna e ficar ainda mais influente. Agora caía a bomba sobre a cabeça de todos naquele casarão e a situação parecia sem saída.

Da janela do seu quarto lá no alto do sobrado, Aline olhava distraída para o horizonte, como costumava fazer todas as manhãs. Nem desconfiava que era o alvo das atenções e motivo de tantos dissabores no andar térreo. Pensava no noivo que não conhecia, na futura vida de casada longe daquela casa, dos pais, dos irmãos. Não havia muita coisa para fazer na vida naquela fase de aguardar casamento, e no muito podia aperfeiçoar o piano ou aprender um ponto diferente no croché.

Bem debaixo dos pés de Aline, na sala principal da casa, o coronel Gonçalves acabara de ter uma ideia que era ousada, mas que poderia dar certo e salvar a honra da filha: ela seria atacada por um maníaco. A cena necessitava ter testemunhas para parecer convincente, só que precisariam de alguém de confiança para que nada fugisse do limite de segurança. O médico da família, dr. Alonso, se opôs desde o princípio. Achava que aquilo era um absurdo e que o estado de gravidez da jovem poderia ser interrompido. "Menos mal", retrucou o pai.
O plano cresceu em detalhes, até que foi escolhido o ator. Seria Juvenal, filho do caseiro, que foi convencido a participar da farsa por alguns contos de réis. A ideia do coronel era, após o incidente, escrever ao pai do pretenso noivo e narrar tudo. Depois deixaria a critério da outra parte desistir do casamento, caso fosse um obstáculo impossível de ser transposto.

— Sou um homem de negócios — contou o coronel à esposa boquiaberta —, sei que uma oportunidade dessas não se desperdiça por conta de ser ou não a moça donzela.
— Então por que não conta para ele agora mesmo? — ainda tentou a mãe.
— Porque é diferente. Uma coisa é a moça ser vítima; outra, bandida.

No dia combinado, dr. Alonso ainda tentou algumas vezes convencer o coronel a mudar de ideia, mas foi inútil. Até se ofereceu o bom médico para se casar com ela e assim reparar o dano, só que sua pobreza financeira eliminou essa possibilidade. O mais cruel disso tudo foi que não contaram nada para Aline, sequer pediram sua opinião sobre o plano. Seria ela alvo da maior das tramas e nem sonhava com o desfecho.

Foi no dia do leilão de S. Sebastião. A frente da igreja estava lotada de gente que aguardava as prendas para arrematar. A missa já havia terminado e por isso as portas foram fechadas. Só que Aline, convencida pela mãe a subir na torre do sino, agora estava sozinha e aflita, sem compreender nada daquela esquisitice que logo viraria pesadelo. 

E foi quando o coronel Gonçalves gritou alto: "cadê minha filha?", que Juvenal recebeu permissão para começar o teatro. Ouviu-se um grito de horror lá no campanário e todos olharam assombrados a cena da jovem atacada por um encapuzado completamente nu. Enquanto os homens tentavam arrombar a porta da igreja, emperradas por conta de escoras providenciais do lado de dentro, o sino badalava abafado, sinal de que havia luta. O coronel sorria para dentro porque o realismo era o confeito que faltava.

O plano perfeito só não deu certo porque subestimaram a força interior de Aline. Ela não se deu por subjugada ante o ofensor, e quando ele menos esperava, no exato instante em que lhe rasgava a veste, foi golpeado com força pelo sino. A grande campana de bronze resvalou nas paredes do campanário e com violência lançou os dois pela janela.

Que cena triste os jovens nus, mortos sobre o lajeado, com sangue respingado na parede caiada, nas pessoas, nas prendas! Era de fato muito alta a torre sineira da igreja. E qual foi a surpresa geral ao retirarem a máscara e depararem com o pacato Juvenal no papel de tarado.

Enterraram a virgem na manhã seguinte. Sim, virgem. A história da gravidez foi inventada pelo dr. Alonso que queria se casar com sua paixão secreta. Coitado do médico, que além de perder seu grande amor, ainda perdeu a vida num acidente esquisito de charrete. O pai de Juvenal desapareceu do povoado e alguns dizem que voltou para sua terra natal, embora ninguém soubesse como, pois o homem não tinha dinheiro.

E que dizer de Juvenal? Enterram-no numa ala de indigentes do cemitério. Teria ficado ali anônimo se algum engraçadinho não houvesse mandado fazer uma lápide e nela escrever: "O salvador da donzela".

Adriano Curado

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Equipe SME orienta diretores para início do ano letivo de 2016

Na tarde desta segunda-feira, 11 de janeiro, a Prefeitura Municipal de Pirenópolis através da Secretaria de Educação reuniu todos os diretores eleitos na rede municipal de ensino no Centro de Artes e Música Ita e Alor. A reunião teve o objetivo de repassar informações e resoluções da pasta acerca das diretrizes a serem seguidas em 2016, bem como metas de trabalho solicitadas pelo Prefeito Nivaldo Melo as unidades escolares quanto ao envolvimento dos pais no dia-a-dia escolar.

Os diretores foram instruídos sobre os princípios pedagógicos, a resolução da Portaria nº0403/15 que trata da modulação após o período de matrículas, calendário 2016, normativas e foi apresentado o Índice de Satisfação e Eficiência da Educação Municipal. Um dos trabalhos realizados pela rede municipal de ensino que gerou resultado muito positivo foi a ampliação do acompanhamento junto aos alunos do ciclo de alfabetização, envolvendo as turmas de 1°, 2° e 3° anos, com professores em dedicação de 40h semanais, iniciativa que colabora efetivamente com o Pacto pela Alfabetização na Idade Certa, firmado junto ao MEC.

Durante a reunião foram ressaltados detalhes para a semana de planejamento do ano letivo, a educação infantil inicia seus trabalhos dia 18 de janeiro, no Centro de Artes e Música, Ita e Alaor, já o ciclo de alfabetização começa seu planejamento dia 19 de janeiro, ambos se estendem até o dia 22 de janeiro. A Gerente de Normas e Organização Escolar, da Secretaria Municipal de Educação de Pirenópolis, Simone Xavier Louredo pediu muita atenção e cautela aos diretores com relação ao período de matrícula. As matrículas para a educação infantil começam amanhã, 12 de janeiro e termina dia 15. As aulas da educação infantil começam dia 1 de fevereiro e as aulas do ensino fundamental dia 25 de janeiro.

O secretário de Educação, Sérgio Rady, lembrou que dia 25 de janeiro será realizada a posse das diretoras eleitas na rede municipal de ensino. Informou também que as aulas de flauta e violão no Centro de Artes e Música Ita e Alaor começarão dia 1 de fevereiro. “É importante que a comunidade saiba que o compromisso da prefeitura é garantir alfabetização das crianças de Pirenópolis e nós temos trabalhado para fazer isso acontecer da melhor maneira possível.”

Sérgio fez um breve relato sobre o Estudo e Levantamento do Índice de Satisfação do Município de Pirenópolis, segundo Sérgio o objetivo do estudo foi à aferição da eficiência na gestão dos recursos voltados para a educação no município. “O resultado foi positivo, estamos atentos para conseguir atingir a meta estabelecida no plano de governo do prefeito Nivaldo Melo. Vamos trabalhar empenhados para ampliar a qualidade do ensino nas escolas da rede municipal.”

Sérgio conta que para atender o objetivo geral, o estudo buscou identificar os resultados alcançados pela administração municipal em quatro vertentes: quantidade de vagas geradas pelas unidades educacionais, quantidade de alunos formados, avaliação dos pais quanto à qualidade e satisfação da educação recebida pelos filhos e desempenho nos mecanismos de avaliação do MEC. “É válido lembrar que os pais receberam um questionário estruturado com 12 perguntas direcionados à qualidade do ensino naquela determinada unidade em que o filho estuda e as opções de respostas eram de acordo com o que melhor representasse sua opinião: ótimo, bom, regular, ruim, péssimo e não sabe responder”.

De acordo com a pesquisa analisada a eficiência das unidades educacionais em Pirenópolis foi muito positiva, avanços em eficiência plena de 100% em dez das quinze unidades avaliadas. A média alcançada pelo Município também merece destaque, 89,71%, índice muito superior à média de estados como Minas Gerais com 61,5% e Paraíba com 52,4%.

Para o secretário de educação, Sérgio Rady as metas permitem traçar estratégias para que as unidades ineficientes melhorem seus níveis de eficiência em curto prazo, mostrando os recursos sub aproveitados e as unidades com maior retorno de escala quanto ao investimento a ser feito. As diretoras terão acesso á pesquisa na integra.

Fonte site da Prefeitura Municipal