segunda-feira, 16 de abril de 2018

Aniversário da APLAM



Hoje é o aniversário de fundação da Academia Pirenopolina de Letras, Artes e Música (APLAM). Fundada em 16 de abril de 1994, no Museu das Cavalhadas, concretizou-se um antigo sonho de Arnaldo Setti, Maria Eunice Pereira e Pina, Wilno Pompêo de Pina, José Sisenando Jayme e muitos outros. Nesses 24 anos de existência, a APLAM tem trabalhado para manter viva a cultura de nossa terra, bem como preservar a memória histórica dos grandes vultos que já a compuseram, mas que hoje labutam nos campos do infinito.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Filmagem em Pirenópolis


Pirenópolis é novamente palco de outro filme. Trata-se do longa "Dulcina Doce Sina", filme de Glória Teixeira, com Direção artística e Figurino de Demetrio Pompêo de Pina e Úrsula Ramos. 


Alguns atores pirenopolinos participam do filme: Itamar Gonçalves, Tilapa, Marieta Amaral e outros.






segunda-feira, 9 de abril de 2018

5º Encontro de Coroas do Divino


Em Pirenópolis, no dia 08 de abril de 2018, reuniram-se representantes das cidades de São Francisco de Goiás, Jaraguá, Pilar de Goiás, Corumbá de Goiás, Cidade de Goiás, Niquelândia, Interlândia e Palmeiras. Todos esses lugares, mais Pirenópolis, são as localidades onde ainda de festeja Pentecostes em Goiás. 









Houve o desfile pela Rua Direita, que saiu do casarão de Olímpio Jayme e foi até a Matriz, rezou-se uma longa missa em latim e, após, todos foram recebidos no salão paroquial para um almoço com apresentação de grupos folclóricos. 



quarta-feira, 4 de abril de 2018

Um grande evento


Não percam o grande evento do Encontro de Coroas do Divino, que este ano prestigia a cidade de Pirenópolis e representa a união das localidades que ainda preserva suas tradições.

Será dia 8 de abril (domingo) e a programação completa pode ser conferida no endereço: http://cidadedepirenopolis.blogspot.com.br/2018/04/encontro-de-coroas-do-divino.html

O encontro tem a Academia Pirenopolina de Letras, Artes e Música (Aplam) como uma das entidades organizadoras.

terça-feira, 3 de abril de 2018

Irmandade do Santíssimo


A Irmandade do Santíssimo Sacramento de Pirenópolis, agora renovada com a entrada de dezenas de novos membros, comemorou seus 290 anos de fundação, com direito a bolo.


O presidente eleito em 2018 foi o agrimensor Henrique da Trindade Curado, que tem vários desafios pela frente, entre eles a busca dos livros de ata desaparecidos e a seleção de novos membros.


Parabéns à velha entidade, que ela continue sempre jovem e atualizada, para que dure por muitos outros séculos ainda.



Fotografia premiada


Essa espetacular fotografia de Haissam Massouh ficou entre as finalistas no concurso promovido pela revista francesa LE PLUS GRAND CONCURSO PHOTO DU MONDE 2017, categoria Reportagem. Ela ficou entre as 400 fotos selecionadas, num total de 50 Mil de 70 países. A imagem foi publicada na revista edição jan/fev 2018.

Encontro de Coroas do Divino



5ª Encontro de Coroas do Divino Espírito Santo de Goiás na cidade de Pirenópolis.

PROGRAMAÇÃO (8 de abril de 2018)

09h00 – Cortejo com as Coroas das cidades do Estado de Goiás que realizam os festejos do Divino. Sairá da casa do dr. Oympio Jayme na Rua Direita, nº 52, Centro Histórico de Pirenópolis, em direção à Igreja Matriz.

09h30 – Missa Solene cantada em latim pelo Coral Nossa Senhora do Rosário na Igreja Matriz.

11h30 – Almoço temático de confraternização no Salão Paroquial Frei Primo Carrara, localizado na Praça Central.

18h00 – Concerto da W3 Filarmônica e Coral Vox Anime. Com regência do maestro Alexandre Innecco. Apresentando: Mozart – Missa da Coroação e Concerto para Clarineta. Local: Igreja Matriz. Evento organizado pela Academia Pirenopolina de Letras, Artes e Música (Aplam).

Fonte site: http://www.cidadedepirenopolis.com.br/2018/04/03/encontro-de-coroas-do-divino/

sexta-feira, 30 de março de 2018

Sexta-feira da Paixão



E, logo ao amanhecer, os principais dos sacerdotes, com os anciãos, e os escribas, e todo o Sinédrio, tiveram conselho; e, ligando Jesus, o levaram e entregaram a Pilatos.

E Pilatos lhe perguntou: Tu és o Rei dos Judeus? E ele, respondendo, disse-lhe: Tu o dizes.
E os principais dos sacerdotes o acusavam de muitas coisas; porém ele nada respondia.

E Pilatos o interrogou outra vez, dizendo: Nada respondes? Vê quantas coisas testificam contra ti.
Mas Jesus nada mais respondeu, de maneira que Pilatos se maravilhava.

Ora, no dia da festa costumava soltar-lhes um preso qualquer que eles pedissem.
E havia um chamado Barrabás, que, preso com outros amotinado- res, tinha num motim cometido uma morte.

E a multidão, dando gritos, começou a pedir que fizesse como sempre lhes tinha feito.
E Pilatos lhes respondeu, dizendo: Quereis que vos solte o Rei dos Judeus?

Porque ele bem sabia que por inveja os principais dos sacerdotes o tinham entregado.
Mas os principais dos sacerdotes incitaram a multidão para que fosse solto antes Barrabás.

E Pilatos, respondendo, lhes disse outra vez: Que quereis, pois, que faça daquele a quem chamais Rei dos Judeus?
E eles tornaram a clamar: Crucifica-o.

Mas Pilatos lhes disse: Mas que mal fez? E eles cada vez clamavam mais: Crucifica-o.
Então Pilatos, querendo satisfazer a multidão, soltou-lhe Barrabás e, açoitado Jesus, o entregou para ser crucificado.

E os soldados o levaram dentro à sala, que é a da audiência, e convocaram toda a coorte.
E vestiram-no de púrpura, e tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram na cabeça.

E começaram a saudá-lo, dizendo: Salve, Rei dos Judeus!
E feriram-no na cabeça com uma cana, e cuspiram nele e, postos de joelhos, o adoraram.

E, havendo-o escarnecido, despiram-lhe a púrpura, e o vestiram com as suas próprias vestes; e o levaram para fora a fim de o crucificarem.
E constrangeram um certo Simão, cireneu, pai de Alexandre e de Rufo, que por ali passava, vindo do campo, a que levasse a cruz.

E levaram-no ao lugar doGólgota, que se traduz por lugar da Caveira.
E deram-lhe a beber vinho com mirra, mas ele não o tomou.

E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sobre elas sortes, para saber o que cada um levaria.
E era a hora terceira, e o crucificaram.

E por cima dele estava escrita a sua acusação: O REI DOS JUDEUS.
E crucificaram com ele dois salteadores, um à sua direita, e outro à esquerda.

E cumprindo-se a escritura que diz: E com os malfeitores foi contado.
E os que passavam blasfemavam dele, meneando as suas cabeças, e dizendo: Ah! tu que derrubas o templo, e em três dias o edificas,
Salva-te a ti mesmo, e desce da cruz.

E da mesma maneira também os principais dos sacerdotes, com os escribas, diziam uns para os outros, zombando: Salvou os outros, e não pode salvar-se a si mesmo.

O Cristo, o Rei de Israel, desça agora da cruz, para que o vejamos e acreditemos. Também os que com ele foram crucificados o injuriavam.

E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona.
E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

E alguns dos que ali estavam, ouvindo isto, diziam: Eis que chama por Elias.
E um deles correu a embeber uma esponja em vinagre e, pondo-a numa cana, deu-lho a beber, dizendo: Deixai, vejamos se virá Elias tirá-lo.

E Jesus, dando um grande brado, expirou.
E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo.
E o centurião, que estava defronte dele, vendo que assim clamando expirara, disse: Verdadeiramente este homem era o Filho de Deus.

E também ali estavam algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais também Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé;
As quais também o seguiam, e o serviam, quando estava na Galiléia; e muitas outras, que tinham subido com ele a Jerusalém.

E, chegada a tarde, porquanto era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado,
Chegou José de Arimatéia, senador honrado, que também esperava o reino de Deus, e ousadamente foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus.

E Pilatos se maravilhou de que já estivesse morto. E, chamando o centurião, perguntou-lhe se já havia muito que tinha morrido.
E, tendo-se certificado pelo centurião, deu o corpo a José;
O qual comprara um lençol fino, e, tirando-o da cruz, o envolveu nele, e o depositou num sepulcro lavrado numa rocha; e revolveu uma pedra para a porta do sepulcro.

E Maria Madalena e Maria, mãe de José, observavam onde o punham.

Marcos 15:1-47









quarta-feira, 28 de março de 2018

Procissão de Encontro


Na concorrida Procissão de Encontro, a imagem de Nossa Senhora das Dores, conduzida por um séquito de mulheres, encontra-se com a procissão de Senhor dos Passos, conduzida por homens. Esse encontro das duas procissões se dá tradicionalmente no paço da casa que foi do maestro Silvino de Siqueira, instante em que hinos maravilhosos são entoados pelo Coral Nossa Senhora do Rosário.




As fotografias são de autoria de Séfora de Pina.

Semana Santa 2018


Programação religiosa da Igreja Católica em Pirenópolis 2018, por ocasião da Semana Santa


Tríduo Pascoal
Quinta-feira Santa - 29 de março de 2018

09h - Missa do Crisma - Igreja do Senhor Bom Jesus
18h - Missa na Igreja Matriz
20h - Missa de Lava-pés - In Coena Domini - Ceia do Senhor, cantada em latim pelo Coro e Orquestra Nossa Senhora do Rosário. No fim da celebração haverá traslado com a hóstia consagrada , que é levada para o altar da Capela do Santíssimo, onde haverá vigília até às 15h da Sexta-feira Santa.
21h30 - Teatro da Ceia e Prisão de Jesus no anfiteatro detrás da Igreja Matriz.


Sexta-feira Santa - 30 de março de 2018

08h - Via Sacra encenada, saindo da Paróquia Santa Bárbara até a Igreja Matriz.
15h - Solene Ação Litúrgica da Paixão do Senhor - Igreja Matriz.
19h30 - Cerimônia do Descendimento da Cruz.
20h - Procissão do Senhor Morto.


Sábado da Aleluia - 31 de março de 2018

07h - Ofício de leituras na Matriz e Procissão até o cemitério com o Círio 2017.
20h - Solene Vigília Pascoal na Igreja Matriz. No fim da celebração haverá a Procissão da Ressurreição.


Domingo de Páscoa - 01 de abril de 2018

07h - Missa na Matriz.
09h - Missa na Matriz cantada em latim pelo Coro Nossa Senhora do Rosário, em comemoração ao 290 anos da Irmandade do Santíssimo Sacramento. Logo após, procissão.
10h30 - Missa na Igreja do Bonfim.
12h - Tocata da Banda Fênix ao lado da Igreja Matriz. Saída da Folia da Coroa do Divino.
18h - Missa na Matriz.
19h30 - Missa na Capela Santa Luzia.
20h - Missa na Matriz. Chegada da Coroa do Divino.

Fonte: Panfleto da Paróquia Nossa Senhora do Rosário.

quinta-feira, 15 de março de 2018

Encontro de Coroas do Divino


O Sexto Encontro de Coroas do Divino Espírito Santos ocorrerá este ano em Pirenópolis. Esse evento nasceu de um projeto em Jaraguá. As várias cidades que celebram o Império do Espírito Santo se reúnem em nome da preservação dessa celebração de fé que é patrimônio imaterial do povo goiano e do Brasil.

O Encontro acontece dia 8 de abril de 2018, com a seguinte programação:

8h - Recepção com café da manhã;

9h - Cortejo com todos Imperadores e Coroas pela Rua Direita, saindo da Casa de Dr. Olimpio Jayme até a Igreja Matriz;

9h30 - Missa Solene. Com a participação do Coral Sacro Nossa Senhora do Rosário. (Que executará a tradicional Missa de Freitas);

11h - Almoço de confraternização.

Realização
Paróquia de Nossa Senhora do Rosário

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Via Sacra Solene


CONVITE
A Mesa Diretora da Irmandade do Santíssimo Sacramento e a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, continuando os seculares exercícios quaresmais, convida todo povo de Deus a participarem da Via Sacra Solene.
Quando: Todas as sextas-feiras da Quaresma.
Horário: 19 horas.
Local: Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário, Largo da Matriz, Centro Histórico.
O QUE É A VIA-SACRA?
O exercício da Via Sacra consiste na peregrinação mental através de quadros ou cruzes nas paredes das igrejas, da caminhada de Jesus a carregar a Cruz desde o pretório de Pilatos até o monte Calvário, meditando simultaneamente a Paixão e Ressurreição. Tal exercício, muito usual no tempo da Quaresma, teve origem na época das Cruzadas (séculos XI/XIII): os fiéis que então percorriam na Terra Santa os lugares sagrados da Paixão de Cristo, quiseram reproduzir no Ocidente a peregrinação feita ao longo da Via Dolorosa em Jerusalém. O número de estações ou etapas dessa caminhada foi sendo definido paulatinamente, chegando à quatorze estações, no século XVI, e hoje conta com quinze. O exercício da Via Sacra tem sido muito recomendado pelos Sumos Pontífices, pois ocasiona frutuosa meditação da Paixão do Senhor Jesus.
Por “Via Sacra” entende-se um exercício de piedade segundo o qual os fiéis percorrem mentalmente através de telas, o caminho da Paixão do Senhor, que em Pirenópolis é retratado pelo artista pirenopolino e Irmão do Santíssimo Pérsio Ribeiro Forzani, cuja obra se encontra na Matriz do Rosário desde 2014.
Concede-se indulgência plenária ao fiel que fizer piedosamente o exercício da Via-Sacra, pois renova-se a memória das dores que sofreu o divino Redentor no caminho para a nossa salvação.
É necessário ainda, além da repulsa de todo o afeto a qualquer pecado, até venial, o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Sumo Pontífice (costuma-se rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória). Uma confissão pode valer para se obterem todas as indulgências plenárias durante o período de um mês.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

A Quaresma Católica


O Tempo da Quaresma é o período do ano litúrgico que antecede à Páscoa cristã. É celebrado por algumas igrejas que seguem o Cristianismo - Católica, Ortodoxa, Anglicana, Luterana etc. 

O nome Quaresma vem do latim quadragesima dies (quadragésimo dia). E o Ciclo Pascal compreende três tempos: preparação, celebração e prolongamento. A Quaresma é a preparação.

A Quaresma prepara os fiéis para a celebração da Festa Pascal, que comemora a ressurreição de Cristo. Tal preparação é feita por meio de jejum, abstinência de carne, mortificações, caridade e orações.

Em tempos outros, aqui em Pirenópolis, no período da Quaresma se cobriam os espelhos, não se promoviam festas e as pessoas se resguardavam. Não havia consumo de álcool e nem de carnes vermelhas. Falava-se baixo, ria-se pouco e rezava-se muito.

Hoje tudo está muito mudado. Nem parece que estamos nessa época de sacrifícios e constrições.

Este blogue acompanhará os principais acontecimentos da Quaresma em Pirenópolis até chegarmos à Pascoa. 

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Carnaval em Pirenópolis



Aí vem mais uma folia de Carnaval. Cidade cheia, turista animado, som absurdamente alto e muita bagunça. De gorjeta vêm os problemas de sempre: trânsito caótico, falta de sanitários públicos, ausência de informações confiáveis e aquela sensação de que veio mais gente do que cabe aqui.

Mas é Carnaval! É tempo de festejar e se alegrar. Na Quarta-feira de Cinzas a gente vê como ficam as contas. Por ora é bom se apressar para não perder o bloco dos aflitos.

Há pouco tinha aquela polêmica. Vai ter, não vai. Na Rua Direita não pode. No beira-rio não deve. No restante não cabe. E parece que vai sobrar mesmo para a Praça Central, cá na frente de casa, a bagunça toda. Tudo bem, se for organizado e com limites. Mas cá para nós: organização e limite em Pirenópolis num feriadão desses?!

As pousadas já estão lotadas desde a virada do ano e ainda assim o povaréu não se intimida e vem do mesmo jeito. Qualquer coisa se dorme no carro, ou na praça mesmo, e ninguém faz conta disso. 

Quando passar a folia restará o mijo nas paredes, os conteúdos intestinais no beco (ops!, agora são travessas) e o lixo espalhado por todos os cantos e recantos desta velha cidade. O comércio por certo ficará satisfeito porque as bruacas estarão cheias e o pirenopolino que conseguiu emprego temporário também comemorará. Mas quem ficou em casa meio que acuado por conta de andarilhos, arruaceiros e marginais, que não pôde sair de casa porque estacionaram na garagem, esses não se alegrarão tanto assim.

Mas é Carnaval! Música, alegria e diversão. Tempo de encher o caneco, se fantasiar e fazer coisas que normalmente não se faz. E para quem contestar, haverá alguém que dirá: antigamente era assim. E eu responderei que não era bem assim.

Deixa tudo isso para lá. No mais, esta página deseja a todos um Carnaval de paz. Que tudo transcorra bem.

Adriano Curado

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

O prédio do teatro

Bico de pena de Di Magalhães
O prédio do Teatro de Pirenópolis, construção já centenária e de muitas histórias, está numa lastimável situação de decadência. E não era para estar assim, já que passou por uma boa reforma, com supervisão do SPHAN, há uma década aproximadamente.

O grande edifício já vivenciou por poucas e boas. Foi vendido à iniciativa privada, ocasião em que virou bar, serralheria etc. Depois voltou à administração pública. Foi para o Estado de Goiás, retornou à Prefeitura Municipal e agora está novamente com o governo goiano.

Ameaçada de desabar, a fachada foi escorada e o prédio interditado. Colocaram lá na frente um tapume, que já apodreceu e foi substituído. Semana passada pintaram (o tapume, não o teatro) de rosa para disfarçar.

Dizem que há uma licitação em andamento para sua reforma, mas de concreto mesmo só temos as paredes trincadas por rachaduras fenomenais. Uma vergonha isso porque está em pleno Centro Histórico, na vizinhança da Igreja Matriz, e quem chega pela Avenida Joaquim Alves (principal), depara com essa imagem horrorosa. 

Aos senhores gestores públicos um apelo: socorram o teatro!

Adriano Curado

sábado, 27 de janeiro de 2018

Fazenda Água Limpa


Este casarão era a sede da Fazenda Água Limpa, em Pirenópolis. Tão antigo e sólido quanto a casa-grande da Fazenda Babilônia. Ali nasceu Jarbas Jayme em 1895. Ao herdar a fazenda, Inácio Mendonça Lopes vendeu, em 1986, a velha casa para o paulista Germano Dias da Silva Júnior, que a desmontou cuidadosamente, enumerando a ordem dos adobes, e a remontou na Fazenda Meia Ponte, de sua propriedade. Como eu conheci a Água Limpa, fui lá conferir a obra e fiquei impressionado com a réplica. Com a morte de Germano, agora é a Meia Ponte que foi posta à venda. 

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Volta, chuva!


Finalmente há previsão de chuva para hoje em Pirenópolis. E já não era para menos. Choveu muito pouco e insuficiente para encorpar os rios e corgos da região. E se não chove, o calor toma conta. A cada ano que passa a chuva diminui mais e mais. As fazendas estão secas e na cidade fica o alerta de previsão de racionamento de água. Mas não tem nada não, que logo mais vai chover e será decretado o fim do veranico da janeiro.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Delegacia de Polícia tem nova titular


A Delegacia de Polícia de Pirenópolis tem nova titular. Trata-se da dra Carla de Bem Monteiro, que deixa o comando do Grupo  Especial de Repressão a Narcóticos (GENARC) e do Grupo Especial de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (GEPATRI), em Anápolis, para trabalhar em nossa cidade. Para quem não sabe, a dra. Carla é conhecida no meio policial pela seriedade e rigor com que conduz as investigações. Depois de tanta notícia ruim no ano de 2017 sobre nossa segura pública (interdição de delegacia, ausência de presídio etc.), começamos o ano com as melhores expectativas possíveis.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

1º terço dos cavaleiros


A Festa do Divino Espírito Santo deste ano ainda está longe, é verdade, mas os cavaleiros das cavalhadas já rezaram seu primeiro terço. Foi na casa do Imperador.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

MEXENDO COM OS MEUS GUARDADOS


O meu primo, o Delegado Rodrigo Luiz Jayme, me enviou hoje um significativo presente: estas fotos do meu pai, Agnaldo d’Abadia Jayme. Reconheço que o meu pai, morto prematuramente aos 41 anos, me fez muita falta. Ele faleceu em decorrência de um Infarto Agudo Miocárdio - IAM. Confesso que eu era muito ligado ao meu pai. Receber as suas fotos me fez pensar que ele realmente me fez muita falta!!!...

Receber as fotografias dele me levaram a fazer uma reflexão sobre a minha própria vida! Eu só tinha 11 anos quando do seu falecimento. Imaginem só os problemas de um órfão de pai ainda menino. Você precisa do pai como apoio material, como também no sentido da segurança pessoal! Inclusive, você precisa se tornar muito forte e bom de briga para não ser vitima “bullying” na escola. No primeiro ano sem ele, encarei 11 brigas em um ano na escola, ou seja, tive muito “treinamento” prático.

Aos 15 anos, comecei a dar aulas particulares, especialmente nas férias, para ganhar algum dinheiro extra por conta própria. Aos 18 anos, quando me preparava para o vestibular de Medicina, me tornei professor de Português, em uma escola de supletivo (antigo Madureza), em Goiânia. A minha mãe era uma professora dedicada e sempre me ajudou naquilo fosse possível. No entanto, os professores naquela época tinham uma remuneração muito baixa e minha mãe era uma jovem viúva, mãe de quatro filhos. Dessa forma, a opção era me tornar independente economicamente!

Foi ainda como professor que pude me manter na faculdade de medicina na UnB. Como estudante na Universidade de Brasília, me casei aos 20 anos e me tornei pai aos 21 anos. Quando me formei em Medicina já tinha duas filhas! Continuei, assim, a minha sina de órfão de pai, morto prematuramente. Estas reflexões todas me vieram à cabeça ao receber estas fotos de presente do primo Rodrigo Jayme.

No primeiro ano de Faculdade, já iniciamos a nossa participação nas lutas estudantis: luta por moradia, luta pelo direito escolher o curso que queríamos realizar, luta pela democracia e contra a Ditadura. Na primeira eleição, fui eleito vice-presidente do Centro Acadêmico do ICB - Instituto de Ciências Biológico. A Presidência da Federação dos Estudantes da Universidade de Brasília (FEUB) era exercida pelo meu amigo Honestino Guimarães.

Eu havia conhecido Honestino Guimarães antes de entrar para a Universidade. Honestino era vizinho de uns primos meus na Asa Norte em Brasília. Ele veio, em 1967, participar da Festa do Divino. Na oportunidade, trouxe consigo alguns estudantes da Universidade de Brasília e eles ficaram hospedado em minha casa. Pouco menos de um ano depois, em 1968, eu me tornei aluno da UnB, passando no vestibular para Medicina. Mas isto é outra história!!!...

Como se pode perceber, primo Rodrigo, este seu presente foi muito importante para mim. As fotos mexeram com os meus “guardados” e me fizeram voltar ao passado. Ficou evidente para mim quanta falta me fez a presença do meu pai em minha vida. Felizmente, consegui superar as dificuldades e chegar a onde cheguei. Felizmente, meu filho e minhas filhas puderam contar com o nosso apoio ao longo de sua vida e hoje já oferecem seu apoio aos seus descendentes.

Contar esta história me fez lembrar do “I-Juca Pirama”, um poema épico de Goncalves Dias. Em sua última estrofe, encontramos:
“Assim o Timbira, coberto de glória, 
Guardava a memória 
Do moço guerreiro, do velho Tupi. 
E à noite nas tabas, se alguém duvidava 
Do que ele contava, 
Tornava prudente: "Meninos, eu vi!".

Fausto Jaime



O ano de 2018


Esperamos que este ano de 2018 seja espetacular para a nossa Pirenópolis. Grandes são os desafios que vêm aí pela frente. Basta ver que no réveillon teve de tudo, de engarrafamento no trânsito a gente acampada em área pública. Mas com um pouco de planejamento e boa vontade é possível reverter isso. É cada vez maior o número de turistas que procuram nossa cidade e precisamos recebê-los bem.

Então, feliz ano novo!