sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Sarau da Aplam abre Flipiri


Sarau e lançamento da Antologia Poética "Um feixe de luz" , dia 22 de setembro, às 18:30, no Salão Paroquial, na Flipiri. 

Participação especial do duo Ziriguiduo. Realização APLAM - Academia Pirenopolina de Letras Artes e Música.

Participe! Prestigie! 

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Um jornal cultural


Este é o primeiro exemplar do Jornal Nova Era que circulou em Pirenópolis de outubro de 1989 a abril de 1998, quando encerrou suas atividades no número 35. Tinha uma proposta ousada: seu conteúdo era apenas cultural. Idealizado por Maria Eunice Pereira e Pina e pelo jornalista José Reis, por muitos anos manteve viva a chama do incentivo à nossa cultura. Valdolucio Cardoso era o responsável pela coluna social. Eu publiquei ali meu primeiro conto intitulado A Caçada. Também minha saudosa tia Vera Lopes Siqueira movimentava sua coluna com o pseudônimo de Condessa de Meia Ponte.

Adriano Curado

Madrugada do tempo


Há uma certa nostalgia nesse casario que de mãos dadas contempla o tempo passar, tendo ao fundo os morros arredondados do cerrado. Parece até que o relógio parou e agora quer nos prender em nossas próprias lembranças. Mas deixe-me ir, Meia Ponte, que o futuro já aponta nos primeiros raios da madrugada ali para as bandas da Rua Aurora.

Adriano Curado

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Gustavo Lima em Pirenópolis


E quem está em Pirenópolis para a gravação de seu novo clipe é o cantor sertanejo Gustavo Lima. As filmagens estão ocorrendo na Rua do Rosário (ou do Lazer), que se encontram temporariamente interditada. Na foto, o artista aparece abraçado com as pirenopolinas Rosane Ferreira (de saia branca) e Ariane Cerena Mesquita.

Quem participa do clipe é a atriz Cleo Pires. 


A luz na sequidão


Esta época me fascina pelo contraste de cores e sabores por este cerrado afora. Ainda que a seca se prolongue, a vida persiste com toques sutis que o Criador espalha nos oásis de luz.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Casinha de flores


Fotografei esta casinha lá em Maiadô. Achei-a poética e desamparada, porém cercada por muitas flores multicoloridas. Para quem não sabe, esse povoado se chamava antigamente Cachorro Amarrado, depois virou Maiadô (nome popular do malhador onde o gado pernoitava). Mais recente os políticos sem ter coisa melhor para fazer mudaram seu nome para Goianópolis (aff). Mas o nome popular persiste, numa silenciosa resistência contra os modernismos sem sentido.

Adriano Curado

Trovadores dos Pireneus


segunda-feira, 31 de julho de 2017

O casarão da Família Batista


O velho casarão da Família Batista está de pintura nova, todo engalanado e vistoso na Rua Direita. Atualmente é o escritório do colega Diego Peixoto. Mas em tempos antigos era conhecida como casa de Seu Neco Mendonça, que ali exercia a profissão de farmacêutico prático, onde manuseava no laboratório as fórmulas dos remédios que fabricou por décadas na botica (era um boticário), como seu pai. 

Muito antiga essa construção, data da primeira metade do século XIX ou final do século XVIII. 

Quando não havia teatro em Pirenópolis, no Beco de Seu Neco improvisavam um rancho para as apresentações e os atores usavam os quartos da casa como camarim, passando pelas janelas que ficavam à altura do palco. Parabéns aos proprietários por conservá-la.

Adriano Curado

Obras interditadas


Neste momento duas obras estão interditadas em Pirenópolis pelo IPHAN. Uma na região do entorno do tombamento e outra na Rua Direita. Para evitar dor de cabeça, aconselho sempre a procurarem um advogado antes do começar alguma intervenção em imóveis. 

A placa do escritório de advocacia, por exemplo, antes de ser colocada aqui em casa eu fiz um processo no escritório local e consegui autorização.